Pages

terça-feira, 15 de setembro de 2015

A Júlia precisa falar! Parte 2

E as brincadeiras continuam por aqui... 

Esta dando resultado então vamos brincando e aprendendo a adicionar serpentinas e confetis!

Por mais que dedicamos tempo aos nosso filhos, nessa fase de transição de bebê para criança, eles irão sempre procurar um pouco mais, pelo simples fato de estarem desbravando o mundo. Aqui em casa tem um momento muito particular em que a Jùlia adora me tirar de cena arrebatar a minha alma somente para ela:

Júlia: A mamãe esta fazendo a janta, e acho que é uma boa idéia ir lá enroscar em suas pernas...
Nessas horas eu fico tão preocupada com a segurança da Júlia que prefiro parar o que estou fazendo e ir atendê-la. As vezes o arroz empapa, queima, não consigo fazer tudo o que gostaria para a janta... As vezes isso me deixa muito triste as vezes com raiva (sim mamãe também sente raiva).

A Júlia esta com 2 anos e 4 meses.

Mas o que seria melhor neste momento? Qual seria a melhor opção para atender ela e conseguir fazer a janta?
Finalizando o Post:

Com a participação de Silvana Santana pedagoga infantil.

"Nessas horas eu fico preocupada" Acho que essa é uma das frases que mais fazem parte do nosso dia-a-dia como mãe e educadoras (sim somos professoras dos nossos pequenos)...  


Apôs ler essa afirmativa eu pensei, temos que reescrever isso.

Esses dias tem sido dias de muita reflexão sobre maternidade e sobre os avanços dos peraltinhas e em particular sobre o avanço linguistico da Júlia! 

Eu abandonei o medo da Júlia se machucar e me dispus ao novo, mas antes verifiquei se o que estava cozinhando não iria machucar a Jùlia... rsrsrsr
Eu reescrevi essa lembrança na memória da minha filha, abaixei a temperatura das panelas e peguei a Júlia no colo... E lá fomos nós para uma sessão de aprendizado:
- Olha Júlia a mamãe está cozinhando arroz.
"Loiz"
- Muito bem, a mamãe esta cozinhando arroz.
"Aloiz"
- Sim a mamãe cozinhando arroz.
"Aroiz"
- Você vai querer arroz na janta?
"Inhém"

Inhém, inhém é a forma da Júlia pedir para descer do colo. O tempo entre eu parar para dar atenção a Júlia e aproveitar para treinar mais uma palavrinha em português foi menor que 3 minutinhos, ela se sentiu segura, e voltou a brincar eu voltei a prepara a janta.

Descobri que ela só precisava se sentir segura, se afirmar como filha como pessoa e se sentir amada independente do que a mamãe dela estivesse fazendo.

Passei a segurança para minha filha... Conversamos um pouco... Ela treinou mais uma palavrinha e a janta ficou pronta.

Na hora da janta conversamos mais um pouco!

- Olha Júlia o arroz que você ajudou a mamãe a preparar!
"Plej"
- Sim, o arroz.
"Aroiz"
- É amor um arroz bem saboroso!
"Yumi rice"

Gente onde foi parar o arroz... hahahaha 
Ela repetiu o que o Davi fala sempre que vê um arroz branquinho "yummy rice". Duas palavrinhas e eu trabalhando duro para sair uma. kkkk

Estamos caminhando em passos largos quanto o desenvolvimento da fala da Júlia. Ela esta se desenvolvendo bem tanto em inglês quanto em português, prefere o inglês mas vou puxando ela no português!

Vou deixar os links que a Sil me passou. Deêm uma lidinha neles.

Como os bebês aprendem novas palavras.
Desenvolvimento da linguagem e da fala.

O meu desejo hoje é que vocês se livrem do medo, certifiquem-se da segurança e vivam em liberdade.


Bjs meus e dos Trakinas, próximo post vou trazer as brincadeiras que a Júlia está fazendo para estímulo da fala.
Fiquem com Deus.